Grupos de notícias



Tribunal de Justiça de Goiás manda soltar João de Deus, acusado de crimes sexuais



Decisão do Tribunal de Justiça de Goiás ordenou nesta terça-feira (14) o retorno do médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, ao regime de prisão domiciliar. Ele estava no presídio desde o último dia 26 de agosto, quando teve a prisão determinada pela Comarca de Abadiânia.

Segundo nota divulgada pela defesa de João de Deus, o habeas corpus “afasta a ilegalidade da última prisão”. O médium é acusado de uma série de crimes sexuais contra mulheres em atendimentos na Casa Dom Inácio de Loyola.

Ele vinha cumprindo prisão domiciliar em Anápolis desde março do ano passado, quando começou a pandemia de covid-19 até ter retornado novamente à prisão. A defesa alega que ele tem idade elevada e vários problemas de saúde, o que o tornam vulnerável ao coronavírus.

“O médium possui diversas doenças crônicas, atestadas pela Junta Médica do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, e pelo fato de ter mais de 80 anos, além da ausência da ocorrência de novos crimes e a falta de contemporaneidade da prisão decretada com os fatos sob investigação”.

A prisão do dia 26 de agosto foi pedida pelo Ministério Público de Goiás, que argumentou que as vítimas sentiam-se inseguras com o médium cumprindo pena em casa.

O alvará de soltura ainda não chegou à Diretoria-Geral de Administração Penitenciária. A defesa espera que João de Deus seja solto em até 24h.

Por Diário de Goiás