Grupos de notícias



Ajuda de R$600 do governo inclui motoristas de aplicativo e taxistas



O Senado aprovou, em sessão virtual, a concessão da ajuda de R$ 600 a motoristas de aplicativo e taxistas durante a pandemia do coronavírus. No total, 79 senadores votaram a favor da ampliação da ajuda financeira (conhecida como "coronavoucher") e ninguém se posicionou contra a proposta. Agora a proposta parte para análise da Câmara dos Deputados antes de ir a sanção presidencial. O benefício emergencial já foi publicado pelo Diário Oficial da União. A expectativa é que 54 milhões de pessoas sejam contempladas. O auxílio deve começar a ser pago já na semana que vem. Os beneficiados poderão sacar o dinheiro em bancos federais (como a Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil) e privados. Posteriormente, agências lotéricas e dos Correios também devem realizar o pagamento. Quem pode receber a ajuda? O beneficiário precisa ter renda familiar mensal individual de até meio salário mínimo (R$ 522,50). Outro cenário é uma renda familiar total de até três salários mínimos, ou R$ 3.135. Além disso, o trabalhador informal deve ser inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Motoristas que exercem atividade como microempreendedor individual (MEI) também se enquadram no perfil. Como sei se estou cadastrado no CadÚnico? Acessar o portal do CadÚnico é a forma mais eficiente de descobrir. Quem quiser pode baixar um aplicativo ou ainda ligar no número 0800 707 2003, de segunda a sexta-feira, das 07 às 19h. Aos finais de semana e feriados, o horário de atendimento é das 10h às 16h. Quem não tem direito a receber o benefício? Quem faz parte de programas de transferência de renda federal (a única exceção é o Bolsa Família) não pode receber o benefício. Ale´m disso, profissionais com carteira assinada estão fora do grupo de contemplados, uma vez que eles têm direito ao seguro-desemprego. Sendo assim, motoristas que utilizam aplicativos de transporte como fonte de renda complementar não podem receber o "coronavoucher". Por quanto tempo o benefício será concedido? Inicialmente os pagamentos devem ser realizados por, no máximo, três meses. Há possibilidade, porém, de o "coronavoucher" ser estendido enquanto o período de quarentena ainda estiver em vigência no país. Fonte: Uol