Grupos de notícias



Divulgada a identidade da adolescente decapitada em Anápolis



A Polícia Civil descobriu quem é a garota executada a golpes de facão e decapitada em Anápolis, cujo corpo foi encontrado nesta segunda-feira (9) em estado avançado de decomposição. Trata-se de Noemi Figueira de Moraes, de 17 anos. O reconhecimento foi feito no IML, na tarde desta quarta (11), pela irmã. Ela pediu ao Mais Goiás para não ter o nome revelado. “A gente sabia que, cedo ou tarde, isto ia acontecer. As escolhas que ela fez na vida levaram-na a isso”. O corpo de Noemi estava sem cabeça, mas tatuagens permitiram a identificação. Ela estava com o cabelo raspado, os dedos médio e anelar da mão ceifados e a língua cortada. “Lá em Brasília, onde crescemos, eu aprendi que cabeça raspada é sinal de envolvimento com o tráfico. O dedo anelar cortado sugere que o crime foi cometido em função de algum relacionamento que ela teve e a língua cortada indica que ela falou demais”, disse a irmã. Noemi morou na casa da irmã mais velha, em Paraúna. "Ela se envolveu com drogas, coisas ilícitas e homens errados". Foi embora porque “queria mais liberdade”. Antes disso, a vítima também havia deixado a casa dos pais em Brasília. A família ganhou da prefeitura de Paraúna o traslado do cadáver e o lote para enterrar Noemi na cidade. Noemi não estudava nem trabalhava. Desde que deixou Paraúna, o seu paradeiro era desconhecido pela família, que não sabem o motivo que a levou a Anápolis. A última notícia que se teve dela foi uma ligação telefônica a um rapaz que é amigo da família, na semana passada. “Noemi queria um empréstimo para tomar um ônibus de volta. Queria retomar os estudos e mudar de vida”, relata a irmã. O MG conversou com o delegado responsável pelo caso, Vander Coelho, que confirmou a identificação. Ele diz que a provável motivação do crime foi envolvimento com tráfico de drogas. Três suspeitos já foram presos. “Os policiais constataram que os suspeitos estavam com as mesmas vestes e calçados no crime. Durante a abordagem, confessaram o delito e indicaram o local em que o corpo estava”, disse. Eles devem ser autuados por homicídio e ocultação de cadáver. Matéria do Mais Goiás