Polícia desarticula quadrilha que fraudava vistoria de veículos em Anápolis

De acordo com as investigações, servidores do Ciretran de Anápolis recebiam propina para simular vistorias nos automóveis. A suspeita é de que diversos veículos eram furtados.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores, deflagrou nesta quinta-feira, dia 21, a segunda fase da Operação Intraneus. A ação desarticulou uma organização criminosa suspeita de fraudes em vistorias de veículos. Despachantes e servidores públicos estão envolvidos no esquema criminoso.

De acordo com as investigações, que contaram com apoio do Detran, servidores do Ciretran de Anápolis recebiam propina para simular vistorias nos automóveis. A suspeita é de que diversos veículos eram furtados. “Esses automóveis não podiam ser vistoriados na cidade uma vez que os municípios de procedência estavam localizados a mais de 500 quilômetros”, afirma o delegado titular da Furtos e Roubos, Adriano Costa.

Segundo apurado pela Polícia Civil, os servidores lançavam no sistema do Detran que os veículos haviam passado por vistoria em São Miguel do Araguaia e Mundo Novo. Pelo menos 60 automóveis foram transferidos sem terem sido vistoriados.

No total, foram cumpridos mandados de prisão contra quatro servidores e um despachante suspeitos de envolvimento no esquema. Conversas entre membros da quadrilha e uma pessoa que pagou propina estão entre as provas. Outros dois servidores serão ouvidos nesta sexta-feira, dia 22.

Mais de 80 policiais participaram da operação. Os trabalhos também contaram com o apoio do próprio Detran, do Instituto de Criminalística, Gerência de Operações de Inteligência (GOI) e da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Goiânia. Para o delegado Gustavo Rigo, que preside as investigações, o apoio foi fundamental.

 

Qual seu comentário a respeito disso?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *