Grupos de notícias

Sem apoio, caminhoneiros esperam dias para descarregar soja no DAIA

Motoristas de caminhões carregados de soja têm enfrentado longa espera para conseguir entregar a carga para uma usina localizada no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia). Caminhoneiros relataram ja estar há três dias na fila, sob a justificativa de que o distrito está lotado. Além da longa espera, os caminhoneiros alegam que não recebem suporte – como um lugar para descansar, comida, água ou banheiro para tomar banho. Alguns até perdem outros fretes. “Ninguém está querendo nem vir mais, porque a situação que nós estamos passando aqui jogados pelos cantos”, desabafa José Nazário, um dos motoristas. O Daia justifica a longa espera aos motoristas dizendo que o distrito está lotado. Cheio não só do lado de fora, como também depois que os caminhões passam pelo portão principal. Já que após entrarem no distrito, os motoristas devem passar pelo protocolo de identificação, seguirem para a categoria que pertencem e só então a carga será descarregada. Outro risco, é que a como a soja fica dias armazenadas no caminhão, há chances de que os grãos comecem a deteriorar. “A soja não pode passar do ponto de colheita ou irá se deteriorar”, explica o secretário do Sindicato dos Produtores Rurais de Itaberaí. A reportagem entrou em contato com a Granol, mas até o momento da publicação não recebeu uma posição a respeito de quanto tempo mais essa situação deve durar. *Com informações do G1.