Adolescente de Anápolis fica um mês em cárcere privado apanhando do namorado

Uma estudante de 16 anos fugiu na manhã da última sexta-feira (31) do Clube Recreativo de Goiatuba, local abandonado onde ela passou o último mês trancada dentro de um banheiro pelo próprio namorado. O desempregado Renato Batista de Souza, de 24 anos, foi preso pela Polícia Civil da cidade no início da noite de ontem, quando voltava para o clube.

Ele já era alvo de um mandado de prisão por uma tentativa de homicídio contra uma mulher em Anápolis. A adolescente afirma que além do sequestro que durou cerca de um mês, foi agredida com enforcamentos e socos.

A vítima e Renato começaram a namorar e se mudaram para Goiatuba há dois meses e passaram a morar dentro de um banheiro coletivo. Nos últimos 30 dias, segundo depoimento da adolescente, o jovem passou a trancar a porta do cômodo com uma corrente e um cadeado. Na manhã de sexta, ele teria esquecido o local aberto e ela fugiu quando ele estava dormindo.

Renato chegou a perceber a fuga e correu atrás da estudante, mas não a alcançou. Ela pediu socorro para um casal que passava na rua em um carro e escapou com a ajuda do veículo, que a levou até a delegacia, onde foi ouvida e passou por exames. “O médico constatou agressões recentes e antigas, compatíveis com o relato dela”, explica o delegado Patrick Carniel. O Conselho Tutelar encaminhou a adolescente para a casa de sua família, em Anápolis.

De acordo com Carniel, logo que soube do caso pela vítima, a Polícia Civil passou a procurar pelo suspeito, que havia abandonado o local do cativeiro. Ele foi preso no início da noite, quando voltava ao clube, por policiais que estavam de campana.

Na delegacia, os investigadores descobriram que Renato tinha antecedentes criminais. Ele tem um mandado de prisão preventiva por ser suspeito de um outro crime, cometido em janeiro deste ano. A tentativa de homicídio de uma mulher com mais de 30 facadas em Anápolis. A reportagem tenta entrar em contato com a Delegacia da Mulher de Anápolis, responsável pelo inquérito desse crime. Até as 12 horas deste sábado (1º), Renato seguia preso na delegacia de Goiatuba a disposição do Judiciário.

Matéria do O Popular

Qual seu comentário a respeito disso?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *