MP-GO chama cadeia de Anápolis de “Bomba relógio” e pede interdição parcial

O Ministério Público do Estado (MP-GO) protocolou ação na Justiça pedindo a interdição parcial da cadeia pública de Anápolis, com transferência imediata de 360 presos. O MP-GO chama o Centro de Inserção Social (CIS) do município de “verdadeira bomba-relógio”, apontando superlotação, 12 mortes em 1 ano e 8 meses, fugas, baixo número de agentes e precariedade do local.

A cadeia tem 850 presos enquanto a capacidade é de 356. O pedido inicial é que haja limitação do número de vagas para 490. O processo está sob sigilo, mas o blog teve acesso a parte dos dados citados na ação.

O MP-GO encaminhou ofício ao governador Ronaldo Caiado (DEM) em maio com alerta sobre a gravidade da situação e de “risco de uma tragédia ainda maior”, mas não houve providências.
O número de agentes, apenas 25, é, segundo o MP-GO, insuficiente para impedir uma “rebelião de proporções caóticas”.

Matéria do O Popular

Qual seu comentário a respeito disso?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *